A metalinguagem é um artifício da língua portuguesa na qual o interlocutor trata sobre si mesmo, ou seja, é quando o objeto do texto é ele mesmo. Alguns autores ainda preferem a definição de "código que utiliza o próprio para explicá-lo˜. 

Um dos locais onde mais se utiliza a metalinguagem é nas poesias, entretanto, ela pode ser utilizada em diversos outros ambientes e que, inclusive, extrapolam a linguagem verbal. Na pintura, música e em várias outras formas de comunicação esse artifício é o que torna a obra ainda mais interessante. 


Exemplos de metalinguagem

Abaixo, segue frases que te ajudarão a entender o que é a metalinguagem e de que forma ela pode ser utilizada num texto padrão ou em diferentes situações, muitas das quais, são até cotidianas:

  • o autorretrato de um fotógrafo;
  • a foto de uma câmera nas propagandas publicitárias;
  • uma auto-biografia;
  • um texto de diário no qual começa o texto com ˜querido, diário˜; 
  • a pintura de um artista pintando;
  • o filme que descreve sobre o cinema;
  • o texto que fala da escrita;
  • uma música que fala sobre o cantor que a canta;
  • uma partitura; 
  • o desenho de alguém desenhando.

Exemplo de poema que usa da metalinguagem


Os poemas são boas formas de representar a metalinguagem, pois podem tratar sobre eles mesmos com naturalidade. Veja no exemplo: 


Gastei uma hora pensando um verso

que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

inquieto, vivo.

Ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia deste momento

inunda minha vida inteira.


No caso dessa poesia de Carlos Drummond de Andrade o fato que o torna metalinguístico é a de ter se utilizado a poesia para falar sobre a poesia. Perceba também que a voz pode ser diferenciada na forma com que se utiliza a metalinguagem, podendo ser passiva, ativa ou reflexiva.